sábado, fevereiro 17, 2018

Horizonte

Nessa viagem uma das coisas que eu mais gostei e gosto de fazer é observar é o horizonte. Isso. Para mim essa visão tem um espaço que me deixa mais inspirado. Me deixa pensando que existe mais do que eu posso ver naquele momento, mas ao mesmo tempo eu sinto uma tranquilidade porque estou percebendo que tudo tem o seu lugar, ainda que esse lugar esteja limitado ao que eu possa naquele momento enxergar.

Respirar um ar fresquinho da manhã, caminhar e pensar rápido na próxima atividade é uma coisa que me faz sentir bem.

Sair simplesmente para caminhar e aproveitar o pôr do sol e ou o nascer dele é um dos momentos mais lindos e gratificantes que eu tive nessa trajetória. Você pode testemunhar com os próprios olhos que aquele sol que se foi está voltando, e o contrário também.

Todo dia é um novo dia. A vida pode ter uma trajetória que traçamos que nos faz chegar para algum lugar e nesse plano o destino se encarrega de nos fazer bem.

Às vezes eu percebo que estou tão absorto nas minhas próprias questões, nos meus próprios planos que parece que esqueço que preciso me desligar. 

Uma viagem por um longo prazo exige muita inteligência e estratégia, mas quando percebo que estou muito no automático, paro tudo, quebro a rotina e simplesmente me deixo respirar mais lentamente e observar o que está ao meu redor, o que existe de bonito nisso.

Não quero fazer parecer que sempre tudo acontece como que eu quero, porque não foi assim, mas também não posso deixar de ser grato por tudo o que aconteceu de bom, de maravilhosamente inesperado e que me ajudou mais do que eu esperava.

Isso me faz pensar no horizonte, ainda que os meus olhos vejam o que está na minha frente e isso me dê um panorama limitado, existem coisas surpreendentes além do horizonte que eu posso enxergar sempre que avanço um pouco mais, principalmente quando parece que existe um obstáculo no caminho.


quinta-feira, fevereiro 01, 2018

Costa Rica - Aperitivo típico - El Chifrijo

Num fim de tarde passei num bar e procurei alguma coisa típica para comer e acabei saboreando o Chifrijo, que vem numa pequena tigela com arroz, feijão, pedaços cortados de chorizo e salada em cima, em volta vem alguns nachos. É gostoso, gostei. Para acompanhar tomei um chá gelado de melocotón que vem numa garrafa.






Planos para Buenos Aires se tornam meu combustível

Buenos Aires sempre foi um destino que eu almejava, a maioria dos meus amigos que fizeram uma viagem internacional já tinha ido para essa cidade. As fotos nas redes sociais e os vídeos sobre a capital argentina me instigavam mais e mais.

Planejamento, cálculos, encontrar um voo mais barato e consequentemente com mais escalas e um escolher lugar para me hospedar foram um entretenimento à parte antes da viagem. Interessante como a expectativa de sair do Brasil pela primeira vez me deixou tão animado. Aquele plano de viagem foi o meu combustível por mais de oito meses.

Eu não estava querendo apenas uma experiência superficial, daquelas que os pacotes vendidos nos sites de viagens oferecem. Nada disso, os pacotes são atrativos, mas eu queria sentir como era o estilo de vida de quem realmente mora na cidade portenha, como é o transporte, os pequenos passeios e as coisas simples, como comprar o pão na padaria ou apreciar o fim de tarde em um parque, sem pressa para ver outro ponto turístico.

Depois que finalmente comprei o meu voo para Buenos Aires com escala no Rio de Janeiro, eu não podia acreditar que de fato iria para terra do alfajor. O lugar que escolhi para ficar por um mês foi um apartamento no bairro de Palermo, super conhecido por ter parques bonitos e por isso teve um peso maior na minha decisão. Eu amo parques, até porque queria continuar correndo os 6 quilômetros que costumava em São Paulo. Além dos parques que para mim já são uma atração suficiente para me manter por mais dias em qualquer lugar, os restaurantes, as docerias, as lanchonetes e a diversão noturna não deixam a desejar.

Uma dica valiosa para quem pisa em Buenos Aires pela primeira vez no Aeroporto de Ezeiza (Aeroporto Internacional Ministro Pistarini) é saber que apesar do Uber funcionar na cidade, o serviço do aplicativo está bloqueado nos arredores do aeroporto, ou seja, as opções que acabam sobrando são os táxis. O cliente pode negociar com os motoristas que constantemente abordam os viajantes nas plataformas de automóveis, ou então existe a segunda opção de pagar por um transfer, em geral os dois serviços custam R$ 100,00 por pessoa para chegar até Palermo. Quem tiver companhia pode dividir o táxi e assim garantir mais pesos para aproveitar na cidade. Antes de pegar é bom perguntar se o valor inclui o pedágio, que custa em torno de R$ 10,00.

A sensação de chegar em outro país pela primeira vez foi animadora, ver as plaquinhas predominantemente em espanhol das publicidades me fazia entender que de fato eu tinha pisado em solo argentino.








Publicado no blog no Alô Exterior.

quarta-feira, janeiro 31, 2018

Voluntários para a Trupe Contadora de Histórias

Fazer a diferença no dia de alguém é com certeza uma lembrança que vai acompanhar quem recebeu atenção. 




Para trazer mais sorrisos nos dias de pessoas que estão passando por uma situação difícil, a Trupe Contadora de Histórias está recebendo voluntários para participar dessa equipe do bem.

Os artistas voluntários irão cantar histórias, rimas e trazer poemas para preencher de alegria o dia de seu público.

Quem tem interesse em fazer parte desse trabalho voluntário pode enviar um e-mail para projetocasusbelli@gmail.com.

Os maiores detalhes desse projeto está nesse link do site Catarse.




terça-feira, janeiro 30, 2018

Ônibus para viajar pela América Central

Olá amigos!

Quem quiser viajar pela América Central e está procurando por uma empresa de qualidade, que presta um bom serviço e tem assentos confortáveis, a Transporte del Sol, é a melhor empresa.

Eu posso indicar essa empresa porque já viajei com ela da cidade de San José na Costa Rica, para León, na Nicarágua. Durante todo o trajeto, o serviço conta com uma comissária para auxiliar os passageiros.

Eu gostei do serviço dessa empresa e recomendo.

A empresa opera na da Costa Rica, Nicarágua, El Salvador e Guatemala.

















quinta-feira, janeiro 25, 2018

Eu sou a favor das amizades

Voltamos àqueles posts de relacionamento. Relacionamento não é só namoro. Existem vários fatores que podem influir em uma amizade, não estou falando de amizades coloridas. Sabem aqueles amigos que riem com você? Que riem de si mesmos e compartilham momentos legais da vida? Então, essa é uma forma de relacionamento saudável, que nos faz bem.

Quando existe uma amizade entre homem e mulher é muito fácil do homem confundir a amizade, mas e quando os dois lados estão na mesma sintonia não existe nada de decepção, no entanto, é necessário atenção pois existem aquelas pessoas que sabem que nada vai acontecer além da friendzone e só querem atenção, não querem o seu coração.

Eu sou a favor de amizades, não é porque aquela pessoa não quis namorar que tudo tem que acabar, a amizade pode ser mais gratificante que um relacionamento afetivo e também ser mais proveitosa.

Nessa minha viagem eu conheci diversas pessoas, em geral elas estão viajando por um curto período. Menor do que eu. Algumas por um tempo prolongado. Não é com todas as pessoas que consigo ter aquele envolvimento de amizade, mas te garanto que as amizades que fiz são pessoas únicas, que me fazem bem e sabem encontrar a felicidade em uma risada.

Eu não aguento com uma pessoa que ri, isso é fato. Quem vai ser meu amigo ou minha amiga, eu já sei de longe. A alegria me contagia.

É bom ter alguém mais íntimo para dar aquele abraço apertado, mas isso não deve limitar as relações. Os amigos que passam por nossa vida devem ser valorizados, nem sempre eles estarão todo o tempo do nosso lado.

É muito lindo quando existe uma amizade sem interesses. Que simplesmente existe porque existe uma empatia sem segundas intenções. Não é todos os dias que encontramos pessoas que são especiais. Compartilhar o nossos melhores momentos e os piores é uma maneira de estreitar ainda mais os laços.

Uma coisa que me faz ser ainda mais amigo de alguém, além das risadas compartilhadas, é a abertura que essa pessoa tem comigo de contar coisas da vida dela. Quando alguém me fala de algo importante, eu simplesmente paro para escutar muito bem e aprecio essa confiança.

Quando eu me sinto amigo de alguém, também conto coisas que muitas pessoas não sabem de mim, é como se eu fosse um quebra-cabeças com várias peças, para me entender tem que passar um tempo encaixando as peças que eu vou dando.

Não é todo mundo que tem as minhas peças. Eu gostaria que fossem mais pessoas, mas estou satisfeito com as que pessoas que têm.

Esses relacionamentos em que a amizade é um motivo para dar mais ânimo e deixar o dia mais feliz são os melhores que eu experimentei. Espero que eles possam durar mais tempo, preferencialmente para sempre.