sexta-feira, setembro 25, 2009

"Don Qui"

Donkey, uma palavra inglesa que significa burro, possivelmente originada de “Don Qui” do personagem do escritor espanhol Miguel de Cervantes. O Don Quixote de La Mancha, não foi à toa a escolha  de melhor obra de ficção de todos os tempos.

Quem poderia imaginar que românticas histórias de cavalaria do século XVI , com seus cavaleiros jovens, fortes, destemidos, cheios de honra e dignidade que cavalgavam com raças de cavalos quase alados viriam ser a inspiração para a melhor de todas: Don Quixote De La Mancha, uma sátira altamente recomendável, com apenas alguns requisitos de cavalaria um pouco esgotados, de Alonso Quijano, o verdadeiro nome de Don Quixote De La mancha, mas por aqui vamos chamá-lo pelo carinhoso apelido de “Don Qui”, que foi como os ingleses passaram a chamar as pessoas parecidas com Don Quixote.

De tanto ler livros de cavalarias, que o deixaram um doido varrido, Don Qui, foi mais longe do que qualquer outro cavaleiro jamais chegara, com mais de 50 anos, fidalgo, físico tão robusto quanto o de um palito de fósforo, seu pangaré o Rocinante, e o coitado do lascado do Sancho Panza, que é o escudeiro que vive na esperança de governar uma ilha que o Don Quixote lhe promete, foram suficientes para dar asas às maluquices. Com todos os seus juramentos de fidelidade e honras aonde quer que esteja, Don Qui, vai atrás de sua nobre Dulcinéia (sua amada donzela que nem existia), busca altas aventuras (essa ficou tipo sessão da tarde), para fazer o bem e destruir os malvados, e claro, ter a desejada glória de um cavaleiro.

O lar doce confortante lar do nosso querido Don Qui, e sua mulher não lhe fazem nenhuma falta durante as sucessivas aventuras fracassadas, com seu pangaré e o atrapalhado Sancho Panza.
Por uma pegadinha do destino as pessoas se deparam com um velho alucinado que as atacam, desnorteiam e chama pela sua intocável Dulcinéia nas horas menos esperadas, como quando está estirado no chão depois de levar uns safanões de algum corajoso, ou então por sua poção fortificante, que quando não tira as tripas quase deixa desmaiado quem a bebe. E como sempre muito digno, se for a um bar e lá tiverem mulheres da vida, as tratam por senhoras com gestos de reverência.
Nem é preciso dizer mais por que Don Quixote e seus feitos ficaram famosos por todos os reinos. E que gente que não tinha o que fazer não faltou para querer se entreter com a ingenuidade de “Don Qui”.

Se você gosta do cômico no ridículo, de autor que nem lembra o nome do próprio personagem, ou pelo menos finge, está aqui a minha dica... Você vai se divertir e rir além do que acha que é capaz.
É muito melhor que muito programa de humor que tem por aí...