terça-feira, abril 21, 2015

Heróis da Infância

Imagina você sendo aquele super-herói que sempre sonhou em se tornar? Era isso o que eu mais fazia na minhas brincadeiras de infância. Se sentir um adulto forte, que chutava para lá e para cá me transportava para outra dimensão. A dimensão das minhas fantasias de criança.

Eu ficava ainda mais empolgado depois de assistir os desenhos e séries com os personagens de luta. Eu sempre queria ser o mais poderoso, ou o que mais batia nos inimigos e vencia todas as lutas. É tão bom lembrar dessa época, em que o maior objetivo da minha vida se resumia em ser um guerreiro com poderes especiais. A diversidade de heróis também era o que deixava mais legais as brincadeiras, de um segundo para outro, eu poderia me transformar em vários personagens. Ou então poderia colocar os muitos bonecos de heróis que eu ganhava de presente para lutar entre si. Os Power Rangers definitivamente foram os brinquedos que eu mais tive, eu achava o máximo aquelas duas cabeças que eles tinham, uma hora eu fazia eles virarem Rangers, outra hora pessoas comuns. O ruim era quando eu me empolgava demais e acabava quebrando algum boneco com o excesso de força, tinha vez que eu até tacava na parede, isso me fazia muitas vezes ter que trocar de boneco, nenhum resistia a tanta violência. Também tinham os bonecos dos Cavaleiros do Zodíaco, eu sempre tinha um cuidado a mais para colocar as armaduras, e ainda mexer nos bonecos para luta. Meus olhos brilhavam quando eu via um lançamento de um boneco dos Cavaleiros, posso dizer que já tive 80% deles.

Disputar também quem seria o Ranger Vermelho era caso sério em casa. Eu acabava brigando com o meu irmão seriamente para ver quem era o verdadeiro Ranger Vermelho. Nós dois nos empurrávamos até a minha mãe intervir com a briga pelo papel de herói, havia tantos rangers de outras cores, mas nós queríamos especialmente o da mesma cor. Esse tempo foram os melhores. E quando eu descobri que era possível colocar a musiquinha do Zordon chamando os rangers no celular, era como se fosse uma realização pessoal sendo concretizada. Outro ápice de alegria foi ter o Megazord, nossa, todas as peças do brinquedo eram os animais que representavam os rangers.

Os Pókemons foram o meu sonho de consumo. Os digimons tinham monstros muito robustos. Toda essa fase de heróis para mim foi até Yu-Gi-OH, onde eu tive o meu primeiro contato com jogos de cartas estilo RPG, mas nenhum dos desenhos para mim superam os Power Rangers da primeira temporada e nem superará.