terça-feira, abril 14, 2015

Xenofilia

Eu desde pequeno, na idade de mais ou menos 6 anos, chegava na minha mãe e começava a falar:
- Mãe! Ó o que eu estou falando: Uôl Uél Uêm Uá Uá Niém Niem Nhemnhem.
- Nosssa que língua é essa? - minha mãe me perguntava toda curiosa e risonha.
- É inglês - eu respondia todo orgulhoso.
- Nossa, como você é inteligente!! - me elogiava a minha mãe como se estivesse me dando um prêmio, e ao mesmo tempo me estimulando e me deixando feliz da vida.
- Eu aprendi na televisão, na entrevista daquele cantor - eu informava bem convicto e cheio de alegria.

Foi assim que começou a minha xenofilia, calma, não é nenhuma doença, é o contrário de xenofobia. A xenofilia é uma simpatia por culturas de outros povos. Começar a perceber que existiam pessoas que não falavam a mesma língua que eu, para mim era fascinante, como se a outra pessoa fosse quase de outro planeta. Mas depois eu descobri que essas pessoas de entonação e fala engraçada viviam em outro país, o que me deixou mais encantado ainda, porque havia a possibilidade de eu ir até o lugar onde essas pessoas com uma língua tão interessante viviam e lá bater um bom papo. Saber do que era composta a culinária deles, qual o estilo que as roupas tinham, os lugares imponentes e as exuberantes paisagens, e do que gostavam de fazer para passar o tempo. Para mim, essas pessoas eram especiais, embora tão diferentes, e na verdade isso era o mais legal de tudo. Gente diferente com uma fala diferente mas de carne e osso que nem eu.
Na minha infância, o meu maior sonho consistia em falar com um estrangeiro, e preferencialmente sem ser na minha língua e sim na língua dele. O meu primeiro conhecimento obtido sobre estrangeiros foi pela TV. Nela eu assistia vários artistas falando em inglês, e o fato de eu não entender absolutamente nada do que eles diziam, era simplesmente o máximo, imagina então como eu me senti quando eu tive a minha primeira aula de um idioma estrangeiro, eu fiquei parecendo que estava no show do Michael Jackson. A primeira língua estrangeira que tive contato foi o inglês, acho que na 5° série se eu não me engano. No ano seguinte, entrei no curso de espanhol, do qual eu me apaixonei pelo idioma. Com apenas 11 anos de idade, na primeira aula de espanhol, eu estava tão empolgado que a sensação de estar num parque de diversões era a mesma. A professora parecia muito legal, ensinou sobre a pronúncia da palavras. Nesse curso eu pude ter um estudo mais profundo de outro idioma. Diálogos e apresentações eram constantes. A vergonha de falar no curso foi aniquilada. Além de aprender espanhol eu também fiz amizades que levo para a vida.
Conhecer o jeito, a história e as peculiaridades de outros países sempre despertou em mim um interesse particular. Eu sou com certeza um xenófilo. Meu sonho é viajar pelo mundo, conhecer costumes diferentes dos meus. É bem provável que a minha primeira viagem de avião seja diretamente para fora do país. Pode deixar que quando eu for eu posto aqui sobre a viagem. Eu já conheci estrangeiros, a primeira pessoa foi uma peruana, ela era a minha cabeleireira. Eu me lembro que depois que comecei a falar com ela em espanhol, ela se surpreendeu. Eu tinha a oportunidade de praticar com uma falante nativa, enquanto ela cortava o meu cabelo, eu fazia um monte de perguntas, muito legal essa experiência. Depois eu conheci outros estrangeiros como Bolivianos, Argentinos e Peruanos. Todos os que eu conversei me compreenderam bem e eu também entendi bem eles, a dificuldade só está na velocidade com a qual eles se expressam. Agora só falta, de fato, eu visitar algum país, depois do primeiro eu acho que sempre vou querer viajar para outros. Sempre curti muito viajar, e na primeira chance estarei lá do outro lado da fronteira, do continente ou do oceano, quem sabe.