quinta-feira, julho 16, 2015

Ciúmes


O ciúme é como se fosse um termômetro. O corpo tem uma temperatura média, se esfriar demais não é um bom sinal, ou se esquentar muito é um alerta de alguma doença, ou uma passageira porém indesejada febre.
O grau de ciúme tem que estar na temperatura mediana. Tem aquele ciúme que chega no grau de "valorizado", esse é o ciúme perfeito, saudável. Mas aquele ciúme que ultrapassa do grau de valorização e chega na "febre" de sufoco, é prejudicial, não é adequado e prende a pessoa vítima do ciúme exacerbado.
Ter ciúmes pode indicar uma insatisfação em relação ao desejo e as expectativas do enciumado. Ele não quer dar muito espaço e não admite uma aproximação do "território". Dependendo do ciúme, ele pode incomodar a pessoa a ponto dela ficar se mordendo de raiva por dentro. Existem vários tipos de reações, a cara feia é a mais comum, é um sinal básico para perceber que alguma coisa naquela situação não está agradável. Uma pergunta pode amenizar a cara do enciumado. Se a pessoa tiver a sensibilidade de perceber isso, então vai evitar maiores aborrecimentos. Tem o enciumado que não demonstra nada, esse tipo é meio parecido comigo. Mas tem aquele que já chega querendo monopolizar a vítima do ciúme, e não tem vergonha de barraco não. Esse é o perfil que mais assusta e afasta a outra pessoa. Eu acho ideal uma conversa depois do ocorrido, ou dos ciúmes entrar em campo. Depois de possíveis mal-entendidos é bom impor um limite tanto para a outra pessoa, se você viu que ela realmente fez algo errado, quanto para você, nada de ficar todo(a) chateado(a) com um simples cumprimento ou uma conversa com algum amigo(a).
Em casos em que o nível de ciúmes chegou a aborrecer gravemente o casal, é necessário parar tudo e tentar enxergar que as atitudes incômodas já estão asfixiando a relação. Uma pessoa que tem ciúmes do seu parceiro(a) quando está no trabalho, a ponto de ficar toda hora ligando, atrapalha o desempenho do serviço. Essa falta de auto-confiança é um problema sério. A pessoa precisa saber que se a pessoa está com ela, foi porque escolheu a exclusividade dela, se não, estaria solteira por aí. O pior é quando até da própria família existem ciúmes, nesse caso, dá para ver que não existe nenhum bom-senso e segurança do enciumado. E o pior de todos os casos é quando chega na agressão, aí já virou um caso seríssimo, tanto o enciumado quanto a vítima dos ciúmes sofrem. O respeito é a base sólida de uma relação, e quando essa base é quebrada, muitas quedas vem à tona. Se a irritação é tanta que a pessoa não consegue nem dialogar, ter a famosa DR. Então isso não é amor, porque quem ama respeita e confia, não se deixa levar por impulsos agressivos para partir para a violência, tanto verbal quanto física.
Eu já ouvi muitos relatos de que o ciúme desgovernado foi um peso crucial para o término de relações. Um fato é notório, quem ama não é obsessivo, nem arde de ciúmes e muito menos faz o outro sofrer com possessão. Pensar se essa atitude ou aquela está fazendo bem para a relação deve ser regra, antes de qualquer ação exageradamente ciumenta.