sábado, outubro 14, 2017

A ansiedade que sufoca

Hoje eu vou fazer uma postagem mais sincera, eu até me sinto meio indefeso fazendo, não sei por que, meio desprotegido. Talvez seja porque eu não esteja acostumado a desabafar desse jeito, talvez seja o meu otimismo que me impede de ser tão reclamão, e agradeço isso, ou talvez seja uma luta dentro de mim que existe entre admitir que uma coisa não tão agradável que está acontecendo e ter forças para superá-la sem ser um reclamão.

Eu não gosto de reclamar, acho que devemos nos focar nas oportunidades boas que a vida nos dá e ser grato por elas, mas existem momentos passageiros que nos fazem sentir com uma sensação de espera sem fim, isso. Essa espera que parece que não acaba e gera uma angústia eu entendo como ansiedade.

A ansiedade tem sido estudada por vários pesquisadores e é considerada o mal do século. Eu me lembro que desde a minha infância eu ficava pensando muito no que eu queria que chegasse até mim, isso gerava um cansaço e até mesmo uma sensação de sufoco. Eu não reconhecia isso como um problema.

Hoje, eu vejo que essa vontade insaciável, "incalável" e incansável me deixa sufocado. Essa seria a palavra: sufocado. Quando eu coloco algo na minha cabeça parece que eu não fico em paz enquanto não chegar no resultado esperado, e isso vai me cansando e cansando, e eu sei que a culpa é minha por não me permitir relaxar.

O sufoco que a ansiedade provoca é desesperador, mas eu sei que precisamos nos esforçar para buscar pela paz e ficarmos bem. Eu não quero deixar que os meus objetivos passem por cima do meu bem-estar, o futuro é algo que tem que acontecer naturalmente. Eu sei para que ele seja bom, o meu presente tem que ser também. O homem colhe o que planta. É preciso de tempo para que os frutos cresçam. Tudo leva um tempo, e essa minha vontade de passar por cima do tempo é o mal que pode me sufocar.

Eu não vou me deixar sufocar pelo tempo que passa, sei que se plantar coisas boas hoje, amanhã eu vou colher o bem. Então amigo, se você também está ansioso, eu acho que temos que nos focar em fazer o que é bom, o que é do bem hoje, porque no futuro colheremos o que for que plantamos, é inevitável. Vamos descansar fazendo coisas boas e o resto será uma consequência das nossas sementes.